CLUBE PARANAENSE DE CICLISMO DE MONTANHA

na prova do mundial de 63, uma traição na própria equipe

É interessante como o ciclismo nos ensina lições de vida e, claro, deve haver respaldo para isso na filosofia... Pois bem. Na revista VO2 de junho, na bem escrita matéria sobre ‘uma história de traição’ no ciclismo da Bélgica. Aliás, é esse o título da matéria que por si só vale a revista embora haja outras bem interessantes já que a revista também prima por qualidade da edição.
O interessante é que, ao que tudo indica, a atitude de um colega de equipe na prova que disputava a condição de campão mundial em 1963 traiu àquele cuja a equipe e outras razões levaram a condição de ser ele o finalista, o campeão mundial. Não foi assim. Houve traição.
Mas, agora é que vem o tanto daquilo que nos leva a filosofia. O campeão mundial em 1963 tem no seu curriculum, além dessa vitória, uma em etapa do tuor de france e uma ou outra prova... agora, o verdadeiro campeão, aquele que fora traído por seu colega, que inclusive era mais jovem, bem esse tem em sua carreira nada menos que 371 vitórias e foi bi-campeão mundial. Até hoje essa história de traição é lembrada na Bélgica...

Lembrando que há quem diga que HENRIK VAN LOOY, nascido em 1933, só não foi melhor que a lenda EDDY MERCKY.
Valeu pessoal. KEEP RIDING YOUR BIKE!!
m.doc

0 COMENTÁRIOS:

Postar um comentário

VISITANTES ONLINE

site statistics

TOTAL DE VISITAS