CLUBE PARANAENSE DE CICLISMO DE MONTANHA

A PRIMEIRA VÊZ A GENTE NUNCA ESQUECE...


Olá pessoal!
"pedalando" esses dias pela internet á procura de novidades dos amigos dos "jacus"... fui parar no Blog "Canelas de Aço", nossos amigos de rezende, RJ, e para minha surpresa, me deparei com um relato muito curioso do Jorge Nogueira, integrante do "CANELAS"...era a estréia dele em uma prova de XCO. detalhe: era o Campeonato Brasileiro de XCO, que foi disputado mês passado naquela cidade!!
Além de ser muito rico na narrativa, o tom é de humor, pois ele não tinha a idéia do que era "pilotar" em uma prova dessas! achei interessante postar aqui pois ele dá a noção exata do que acontece geralmente com todos que decidem enfrentar pela 1ª vêz um XCO, e será muito útil também para quem ainda tem dúvidas sobre como é uma prova dessas!
Parabéns pelo têxto Jorge e obrigado por nos autorizar a divulgação do relato em nosso espaço!
Celso Ribas
Á seguir, o relato:

18/07/09 - Campeonato brasileiro de XCO (Amadores)
Rezende - RJ
Por Jorge Luiz Nogueira

"Já há varios dias vinha ouvindo o pessoal falar desse campeonato de XCO (mountain biking cross crountry olimpico), e inclusive recebi vários e-mails, fiquei interessado e me inscrevi na categoria amadores. Me inscrevi, mas na realidade eu nem sabia o que era XCO, e nem me interessei muito de procurar saber, na minha ingenuidade eu pensava que seria uma prova bem parecida com o "ecomotion light!" do penedo com aquelas trilhas fáceis e deliciosas de se pedalar. No dia da prova compareci no mirante das agulhas, já de cara alguns conhecidos ficaram surpresos e espantados com minha presença ali na condição de competidor e não de espectador, a partir daí já fiquei com a pulga atrás da orelha, dos meus conhecidos, quase todos estavam ali na condição de espectadores e olha que eles são bem fanáticos pelo mtb, dos conhecidos só o Christiano, Léo, Jefferson e o Rafael estavam competindo. Logo de cara já encontrei com o Otton(também expectador) que me sugeriu que fosse conhecer a pista, e se ofereceu para fazer a volta de reconhecimento comigo, abaixei um pouco a altura do selim e adentramos na trilha, já de cara minha bike derrapou na grama molhada e fui ao chão, logo em seguida o Otton também derrapou e caiu, mas nos levantamos e seguimos em frente e logo depois já levei outro tombo na curva da single track, já comecei a ficar um pouco tenso, desanimado e preocupado e pensei comigo mesmo: Onde é que eu fui amarrar a minha égua!!!! Isso tudo foi um equívoco!!! Esse tal de XCO não é para mim!!! já estava de saco cheio de tombos, derrapagens e sustos (e isso só no reconhecimento), mas devido aos incentivos dos amigos, embora a contra gosto, acabei seguindo em frente. A trilha era super cascuda com descidas super íngremes e cheias de curvas e com subidas sinistras, tinha até um up-hill que passava dentro de um bambuzal. Era uma trilha muito bonita e comum a linda vista, mas muito cansativa e além do mais eu nem conseguia apreciar as belezas porque estava muito tenso, ali todo cuidado era pouco, se era descida tinha que tomar um cuidado danado para não tomar um capote ou levar um tombo ao derrapar na curva os trechos lights e agradáveis de pedalar eram poucos. Mas aos trancos e barrancos acabei fazendo o reconhecimento de uma parte da trilha, foi só de uma parte pois não daria tempo de reconhecer a outra parte pois já estava quase na hora do início da prova. Eu saí da trilha bem tenso, desanimado e cansado, já tinha me decidido a desistir de participar, eu estava até um pouco constrangido de estar ali e estava querendo sair de fininho. Mas acabou que os amigos me incentivaram muito para eu competir, eu acabei indo na conversa deles, e como já estava ali mesmo resolvi que iria arriscar e que fosse o que Deus quizese, afinal de contas a ambulância estava ali de plantão. Iniciamos a competição e fui relativamente bem no primeiro trecho (aquele que fiz reconhecimento) , como a grama já estava seca não levei nenhum tombo e nem derrapei, embora novamente tenha levado vários sustos. Pedalei onde era possível e em outros trechos empurrava, enfim terminei o primeiro trecho e adentrei o segundo (que eu ainda não conhecia), de cara tinha que atravessar uma ponte com rampa super íngreme, tentei subir e quase levei um tombo daqueles, desisti e fui empurrando e logo cheguei na trilha entre os pinheiros, achei muito bonito e pensava que essa parte seria light. Mas mal sabia eu que o pior ainda estava por vir, e aquelas trihas que eu tinha passado e achado cascudas seriam consideradas "lightíssimas" se comparadas a esse trecho nos pinheiros. Meus amigos foi terrível, a única vantagem do trecho dos pinheiros é que tinha sombra, de resto foi terrível, tive que subir vários barrancos onde até empurrando a bike era difícil, em outros trechos eram descidas que mais pareciam abismos (eles dizem drops) e essas descidas sinistras sempre tinham umas curvas fechados no final. Mas procurei fazer o melhor possível, em muitos trechos pedalei bastante, e até me aventurei em algumas descidas e subidas sinistras mas em outros trechos empurrei a bike pois não tinha habilidade técnica e nem coragem . O trecho dos pinheiros foi um festival de tombos e derrapagens, mesmo atletas carimbados caíram alí e ao mesmo tempo muita gente super habilidosa e corajosa que deram um show. Mas enfim apesar de muito cansado segui em frente e logo já estava no asfalto e logo cheguei no topo e iniciei minha segunda e última volta. No primeiro trecho foi tudo mais ou menos bem, só que o cansaço e sede me dominaram além disso o sol estava forte, pedalei bastante mas no trecho final, já não aguentava mais, sorte que ao longe a Márcia e Jerônimo que estavam dando um incentivo para a galera e eu pedi que me arrumassem um pouco de água, no que fui atendido, essa água foi minha salvação, foi ótima me deu novo ânimo e segui em frente, para o trecho dos pinheiros, foi o mesmo esquema empurrei onde não dava para mim, nesse trecho contei com a solidariedade de um desconhecido que me deu um incentivo e me arrumou um pouco de água. Mas por fim eu já estava mais pra lá do que pra cá, e já nem estava me importando muito com tombos, eu queria era chegar logo no final, e por isso fiquei mais corajoso e fiz uns down hills bem sinistros, também coloquei o medo de lado e fiz outras subidas sinistras, mas essas foram poucas, por que o cansaço e exaustão tomaram conta de mim e eu já não tinha forças para pedalar nas subidas e até o último trecho que era asfalto eu subi empurrando, e isso graças aos incentivos do torrão, por que por mim mesmo eu deitava no chão e não levantava nunca mais. Mas enfim graças a Deus e ao incentivo dos amigos consegui completar a prova, e isso para mim foi uma vitória. Depois da chegada tomei litros e litros de água, descansei um pouco, conversei com os amigos e tirei as fotos finais. Cheguei em casa hiper cansado, mas feliz e já pensando em ir no campeonato do dia seguinte (como expectador). Mas valeu, foi ótimo com certeza nesse campeonato de XCO enfrentei e superei alguns medos(não todos), e a partir de agora vou ficar um pouco mais solto e atrevido nos up-hills e down-hills das trilhas da vida.


Parabéns aos organizadores , colaboradores e também a todos os participantes, foi muito legal , uma verdadeira festa do mountain biking, todos nós gostamos muito. Vamos torcer para que ano que vem tenha mais, pois Resende já é uma referência do mountain biking e tem todas as condições para se tornar a capital do mtb no Brasil. Temos morros, matas e montanhas e trilha é o que não falta, além do mais os resendenses são super animados e acolhedores. É isso aí: Mountain bike é bom, Mountain bike é legal e com certeza divulga resende a nível nacional."



Postado por Canelas de Aço

1 COMENTÁRIOS:

  1. Anônimo9:17 AM

    Canelada de Aço!!!
    Valeu pela contribuição partilhando experiencias como essa com os leitores dos Jacus!!! Valeu mesmo, forte abraço e quanto aquele pedal que marcamos para algum dia acontecer...
    m.doc (beto vaz)

    ResponderExcluir

VISITANTES ONLINE

site statistics

TOTAL DE VISITAS