CLUBE PARANAENSE DE CICLISMO DE MONTANHA

RUBENS DONIZETI FATURA A TAÇA BRASIL 2012

RUBENS DONIZETI
FOTO: jacusdeduasrodas®

RUBINHO VENCE, FATURA A TAÇA BRASIL DE XCO 2012 E CONTESTA TEMPO DO 2° COLOCADO
AVANCINI SE DEFENDE E DIZ QUE "JOGOU LIMPO"


01/10/2012
Neste último domingo na cidade de Campo Largo -Pr, aconteceu a 3ª etapa da Taça Brasil de XCO e 7ª etapa do Campeonato Metropolitano de MTB do Paraná (CMMTB), Prova que contou pontos para o ranking nacional e ranking internacional (U.C.I. - Classe E2).

Com o dia amanhecendo frio para essa época do ano, o tempo foi se firmando ao longo da manhã, proporcionando um clima ideal para a prático do MTB. a 1ª bateria de largadas aconteceu pontualmente ás 8:30, tendo como palco a lendária pista de XC do Parque Cambuí, porém com grandes modificações no percurso, pois o parque passa por um processo de revitalização e parte do percurso antigo está sendo preservado.

HENRIQUE AVANCINI
FOTO: jacusdeduasrodas®

O ciclista Olímpico Rubens Donizeti sagrou-se campeão da prova e faturou o título da Taça Brasil 2012 com uma disputa acirradíssima com Henrique Avancini que terminou a prova apenas 10 segundos de Rubinho, fato que, segundo Avancini, gerou protestos do Campeão ao término da prova com reclamações ao organizador da prova e ao comissário da UCI presente no evento. Avancini nos declarou que ficou "muito chateado, mesmo chegando em 2° lugar", confira abaixo o desabafo do atleta:

"Hoje fui vice-campeão da Taça Brasil (etapa e campeonato).
No começo da semana, competi nos 3 primeiros dias do Brasil Ride na Chapada Diamantina-BA, e deixei a prova seguindo diretamente para Curitiba, para que eu tivesse mais tempo para me recuperar para a corrida.
Saí da Bahia com muito calor, e cheguei em Curitiba com absurdos 5°C, depois de 23 horas viajando, entre carro e avião. 
Tive 3 dias para me recuperar e fui me concentrando para a prova. Na sexta-feira fui no circuito que exige bastante da pilotagem e sem muitas subidas, sendo o circuito mais veloz da temporada até agora (23,5km/h de média, o que é mt alto para XCO)
Hoje amanheci me sentindo muito bem e totalmente recuperado do Brasil Ride e sabia que teria condições de brigar pela vitória.
Foram 7 voltas. Na primeira volta o grupo foi formado por 4 atletas, sendo Rubens Valeriano, Pscheidt, Frederico Mariano e eu. 
Na primeira volta senti o ritmo de corrida. Fechei a volta em segundo porém cerca de 10 segundos atrás do Rubinho. Na segunda volta segui junto com o Fred, que na terceira acabou perdendo contato e aí comecei uma corrida de perseguição ao Rubinho. A diferença ficou sempre entre 15-25 segundos, até o fechamento da quinta volta quando diminuí para menos de 10 segundos. Faltavam duas voltas e na sexta fui para o tudo ou nada e arrisquei o que podia e o que não podia. Acabei passando do limite e tomando um tombinho (mais do que normal, quando a pilotagem está próxima do limite), acabei perdendo tempo nessa volta, fechando a 28 segundos do Rubinho, que foi a maior diferença em toda a corrida. Na última mantive o ritmo e fui tirando a diferença até finalizar a 10 segundos do vencedor do dia. Fiquei muito feliz com o resultado por vários motivos. Por ser um circuito onde, em outros tempos, eu teria muita dificuldade de andar tão forte. Por ter andado bem do começo ao fim. E pela recuperação tão rápida depois de uma prova tão dura como o Brasil Ride. 
Me preparei para vencer a prova, mas quando cruzei a linha de chegada, passei com o sentimento de satisfação porque dei tudo o que tinha e andei muito bem e além de tudo, acredito que a disputa tenha sido um belo espetáculo para o público presente.
Mas no final da prova, aconteceu uma coisa que me revoltou e me decepcionou muito. Fui cumprimentar o campeão da prova, que não estendeu a mão para mim e seguiu para falar com o organizador da prova e o comissário UCI(mexicano, Ludowig), que por acaso, é um dos mais conceituados mundialmente e foi comissário inclusive no último campeonato mundial.
A reclamação do campeão, foi que eu teria CORTADO CAMINHO na última volta, porque ele estava muito aberto e eu cheguei só a 10 segundos. Fiquei extremamente decepcionado com a atitude. O comissário internacional checou os tempos e viu que eu tinha sido totalmente regular e ainda contactou os fiscais de pista para saber se eu teria cortado o caminho e nada foi constatado.
Na hora fiquei muito triste com a atitude do colega de profissão, pois nunca, em toda minha carreira, eu fui acusado de alguma coisa do tipo!Aliás é a primeira vez que vejo alguém ganhar a prova e reclamar que o segundo chegou perto... 
E ainda é bom lembrar que eu não vim do nada. É bom lembrar que fui campeão brasileiro em todas as categorias de infanto-juvenil até sub-23 e que tenho histórico e currículo construídos com trabalho e determinação. Eu também treino, eu também me dedico e eu também sou bom no que faço com muita paixão. E nunca agi com má índole em prova nenhuma, talvez por isso tenha sido o único brasileiro no circuito profissional e por hoje carregar o maior nome do país, relacionado a bicicleta, em meu peito."

NOTA DO BLOG:
 O texto acima colocado de Henrique Avancini foi devidamente autorizado pelo atleta, como é uma declaração pessoal, o Blog "jacusdeduasrodas" deixa esse espaço á disposição para qualquer direito de resposta e esclarecimentos da parte de Rubens Donizeti se assim o desejar.

ATUALIZAÇÃO
O atleta Rubens Donizeti conversou conosco para esclarecer o fato ocorrido e aqui postaremos sua declaração para sermos justos na informação e dar voz aos dois atletas, confira abaixo:

"Gostaria de corrigir uma parte que vocês postaram na matéria que fizeram com o Henrique. Pois, quando cheguei fui falar apenas com o Ruy sobre o assunto e foi ele quem insistiu de ir ao comissário da UCI. O fato de ter ganhado a prova mostra que eu não tinham nenhum interesse em reclamar, a não ser , pelo fato de querer ser justo. 
Na última volta vocês mesmos estavam em um trecho da pista e viram que eu estava bem aberto dele. Outras pessoas que estavam na pista me disseram o mesmo, e nas partes de estradão onde eu tinha uma visão distante, eu olhava e nem sinal dele, sendo que nas outras voltas eu sempre via. Não tirei o pé nenhum momento e forcei ainda mais na última, na reta pra entrar na ultima mata olhei e do nada ele estava a menos de 50 metros. Realmente achei muito estranho, porque foi do nada, eu estava administrando essa diferença o tempo todo. 
Além disso, muitas pessoas, muitas mesmo, vieram apontando pra ele, na chegada, pois sua relação estava completamente cheia de matos, ie assim que ele percebeu, imediatamente tirou esses matos. Eu não tinha a menor intenção de desclassificar ninguém, por isso, falei apenas com o Ruy no começo, que por sua vez ficou insistindo. 
Pois vocês entrevistaram apenas o Henrique e colocaram apenas a versão dele, achei justo colocar a minha visão também. 
Abçs


Rubinho

NOTA DO BLOG:
Apenas informando que não entrevistamos o Avancini, entramos em contato com ele após publicação  de sua declaração no FACEBOOK e pedimos autorização para publicar no Blog, estávamos tentando entrar em contato com Rubens Donizeti quando o próprio atleta nos procurou via facebook para esclarecer o fato.


 ROBERTA STOPA
FOTO: jacusdeduasrodas®

Na categoria Elite Feminino o "pega" foi o mesmo, a vitória ficou com a Mineira campeã Brasileira Roberta Stopa, seguida de perto de Raíza Goulão com apenas 11 segundos da líder. em 3° lugar chegou a atleta Luana Machado.

por Celso Ribas

ACESSE A COBERTURA COMPLETA DA PROVA

TAÇA BRASIL 2012 3ª ETAPA - COBERTURA




ESSE BLOG TEM O APOIO DE









"A EXPERIÊNCIA NO TRATO DE SUA BIKE"

0 COMENTÁRIOS:

Postar um comentário

VISITANTES ONLINE

site statistics

TOTAL DE VISITAS